Mitos e verdades sobre o visagismo

Atualizado: 20 de jun.

Navegando por páginas sobre beleza e imagem pessoal você já se deparou com o conceito de visagismo? De uma forma bem resumida, é um conjunto de técnicas utilizadas para realçar particularidades do rosto e comunicar aspectos da personalidade em características visuais.


Pra gente tirar dúvidas sobre o tema contamos com a colaboração do Fabio Ritter @fabioritter.visagismo, professor nos Cursos de Estética, Maquiagem Profissional, Visagismo e Terapia Capilar da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo. A área de estudo do Fabio é chamada de Visagismo Acadêmico, esse é o termo para tudo que é relativo à ensino e pesquisa na universidade. Portanto, o Fabio estuda, ensina e pesquisa o Visagismo do jeito mais sério possível.


De cara ele já esclarece um mito sobre a própria palavra “visage”, de origem francesa, que significa aparência, imagem pessoal e não somente rosto como é descrito de forma superficial.


Vem ler essa lista de mitos e verdades sobre o visagismo e entenda mais sobre esse assunto que tem tudo a ver com beleza, maquiagem e autoconhecimento!



Modelo negra está apoiando o rosto com um das mãos, ela usa moletom vermelho e maquiagem com batom vermelho e olhos delicadamente delineados


Visagismo é sobre corte de cabelo

Mito!

“Um dos principais mitos que desconstruimos nos estudos e nas aulas é que o visagismo não é corte de cabelo e nem leitura de personalidade”, explica Fabio.

O visagismo que ele estuda e divulga procura olhar quais são as ferramentas imagéticas na totalidade, ou seja, como os profissionais podem tratar o cliente de uma forma global. Imagético tem a ver com se expressar por imagens e nesse caso vai ter a ver com cabelo, sim, mas também com makeup, itens de moda e cores.



A beleza deve atender a padrões eurocêntricos

Mito!

No caso da beleza, padrão eurocêntrico é considerar como meta e como régua de medida, traços faciais de origem europeia. Cabelos loiros, olhos claros, pele super branca e nariz fino, são alguns exemplos de características.

“Os padrões imagéticos fazem parte do nosso repertório visual social há milhares de anos, vivemos tempos de desconstrução e isso é um avanço importante. A pergunta que mais escuto dos alunos é como personalizar um padrão imagético ou até mesmo como desconstruir um padrão e passar a mesma mensagem já associada socialmente. Sem sombras de dúvida, esse é o dilema que todas as profissões que trabalham com imagens, não somente a pessoal, mas todas as formas de expressar-se com imagens, estão vivenciando agora: ruptura e a reconstrução de padrões imagéticos”, esclarece Fabio.



O Visagismo é uma forma de personalizar a beleza

Verdade!

Fabio explica que o visagismo na academia se utiliza de técnicas visuais para auxiliar os clientes a atingirem objetivos imagéticos com um projeto de imagem. Ele exemplifica: “assim como planejamos nossa mala de viagem, podemos planejar nossos looks para todos os momentos pensando estrategicamente.” Outra forma de aplicação é “auxiliar a cliente que deseja apenas descobrir o que pode valorizar ela neste momento de vida, afinal todos mudamos e nossa imagem também.”



Uma consultoria em visagismo é um investimento único para toda a vida

Mito!

“Jamais uma consultoria será para o sempre, o consultor e a cliente devem sempre estar se atualizando imageticamente.” Fabio ressalta o que falamos mais acima: os padrões estão em desconstrução. “Se não seguirmos essas pautas, ficamos ultrapassados. E é infelizmente o que acontece com muitos profissionais da beleza”, lamenta.



É verdade que o visagismo considera que uma pessoa é comunicativa porque tem a boca grande?

Mito!

Na hora de escolher um profissional que se intitula visagista, Fabio indica que a gente procure pessoas com formação na área, mas principalmente, alguém que está em constante atualização, que fornece as fontes do que está falando, de onde ele leu as pesquisas e quais os livros ele está usando como referência.

“Acredito que toda a forma de conhecimento seja válida, o que devemos nos atentar é a fonte da informação. Essa pessoa é alguém formado academicamente na área do visagismo? Ou se baseia no mesmo visagismo de 15 anos atrás? Que convenhamos, é algo surreal, como, por exemplo, dizer que a pessoa é comunicativa porque tem a boca grande.”

Se escutar algo assim - fuja! Procure outro profissional, tá?!



Pra quem quer saber mais sobre Visagismo

Além de lecionar, o Fabio edita a Revista Visagismo que fica disponível online para quem se interessa pelo assunto - procure mais em @revistavisagismo.

Ele também é autor do livro Visagismo Acadêmico no Século XXI (Ed. Itacaiunas, 2020) onde compartilha informações atualizadas sobre aplicações e técnicas, ele dá detalhes sobre a real história do visagismo. Como a data exata do surgimento do Visagismo - 6 de abril de 1937 quando o cabeleireiro e maquiador Fernand Aubry registrou a palavra na França!

Leitura interessante para quem tá aqui nos lendo e trabalha com beleza e estética!